Missões

No Japão:

Daniel Charles Gomes

marciagomes34@gmail.com

 

No Oriente Médio:

Rev. Giancarlo da Costa, Adriana, Gianlucas e Sarah

email: ailtonice@uol.com.br

 

No Senegal:

Vildene Almeida Lopes e Jerônimo

email: vildene@hotmail.com

 

Jeame:

Ailton José Fonseca de Souza e Eunice

email: ailtonice@uol.om.br

 

O SIGNIFICADO DE MISSÕES


“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” – Atos 1:8

Este texto de Atos 1:8 trata de missões urbanas ( Jerusalém ), missões nacionais (Judéia e Samaria) e missões estrangeiras ou transculturais ( até aos confins da terra ). O vocábulo “missões” não é bíblico, vem do latim “missio” = enviando. Houve tempo em que “missões” era entendida como tudo o que tinha a ver com o trabalho da igreja realizado em outros países. Isto foi mudando, e hoje, entendemos MISSÕES ( no plural ) como a tarefa da Igreja; e MISSÃO ( no singular ) como o nome das agências missionárias e atividades que tem a ver com a implementação desta tarefa. A melhor tradução para o texto da Grande Comissão de Mateus 28:19-20 é: ” Indo, fazei discípulos…”. Missões urbanas é, portanto, a ação de evangelização da igreja na sua própria cidade, no templo e de casa-em-casa, como vemos em Atos 5:42 “E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo.” , e pelas ruas da cidade “Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra” – Atos 8:4. Missões urbanas é a Igreja “enviando” seus membros, é a Igreja “indo” em cumprimento à grande comissão.

 

A GRANDE COMISSÃO


“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” – Atos 1:8

 

Este texto é uma variação ou extensão da Grande Comissão ( Mateus 28:19-20).
O Espírito Santo seria dado à Igreja para revestir os crentes de poder a fim de capacitá-los para o testemunho “tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”.

A análise dos mapas geográficos da época ( mapas 1 e 2 – fls. seguintes ) nos leva a concluir que o Senhor estava ordenando a Igreja que testemunhasse d´Ele em sua própria cidade (Jerusalém), por todo o país ( Palestina – Judéia e Samaria ) e por todas as nações ao redor do mundo ( mundo mediterrâneo – África, Ásia e Europa ).

A Igreja Apostólica representava toda as Igrejas que viriam a ser plantadas. Desta forma, a ordem dada pelo Senhor Jesus em Mateus 28:19-20 combinada com a afirmativa de Atos 1:8 é também para nós. Cada Igreja tem a missão de evangelizar as pessoas ao seu redor, localizadas na sua própria cidade, bem como o desafio de plantar novas igrejas no seu próprio país e nas demais nações ao redor do mundo.

A atividade missionária da Igreja deve principiar sempre pelas ruas da sua própria cidade. E isto é evangelização urbana, ou urbangelização.

A palavra de Cristo à Igreja não é uma opção e nem deve ser objeto de discussão. É uma ordem! O servo deve obedecer a ordem do seu Senhor.


MISSÕES URBANAS NA IGREJA APOSTÓLICA

A Igreja Apostólica foi obediente à ordem dada pelo Senhor Jesus. Iniciou os seus trabalhos justamente fazendo “missões urbanas”, ou seja, evangelizando a cidade de Jerusalém. Houve grande e estrondoso crescimento. Os relatos estão especialmente nos capítulos 01 a 07 do Livro de Atos dos Apóstolos. Veja, por exemplo, os seguintes textos: –
“Então, voltaram para Jerusalém…”; “Quando alí entraram, subiram para o cenáculo…”; “Todos estes perseveravam unânimes em oração…” – Atos 1:1-3 partes.
“Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar…”; “afluiu a multidão, que se possuiu de perplexidade…”; “Então, se levantou Pedro, com os onze; e, erguendo a voz, advertiu-os nestes termos: Varões judeus e todos os habitantes de Jerusalém…”; “Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.” – Atos 2:1, 6,14, 40,41.
“Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.” – Atos 2:46-47.
“Muitos, porém, dos que ouviram a palavra a aceitaram, subindo o número de homens a quase cinco mil.” – Atos 4:4
“Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.” – Atos 4:31.
“E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo.” , e pelas ruas da cidade “Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra” – Atos 5:42 e 8:4.


MISSÕES URBANAS
Plano de Deus Para a Igreja do Século XXI

A Igreja Apostólica era a célula mater. Ela representava toda as Igrejas que viriam a ser plantadas. Desta forma, o comissionamento feito pelo Senhor Jesus em Mateus 28:19-20 e Atos 1:8 é também para nós.

A igreja recebeu um mandato divino e deve cumprí-lo para não ser achada em falta. Evangelizar não é uma alternativa ou opção para a igreja. É uma ordem dada pelo Senhor da Igreja. O cristão é servo de Cristo. Ao servo não cabe outra alternativa senão a de obedecer a ordem do seu Senhor. Nós somos responsáveis pelas almas perdidas ao nosso redor, até que lhes falemos do amor de Cristo. Um dia todos seremos chamados para prestar contas do que fizemos e do que deixamos de fazer. Que justificativa iremos apresentar por não termos falado de Cristo? A responsabilidade é coletiva, mas também é individual.

Conforme vimos anteriormente, há três áreas ou níveis para o desenvolvimento da ação missionária da igreja. “Missões Urbanas”, “Missões Nacionais” e “Missões Estrangeiras (ou transculturais)”. Há muitas igrejas envolvidas com missões transculturais e/ou nacionais, que possuem Departamento de Missões super-estruturado e funcionando maravilhosamente bem, porém com atuação zero na área de missões urbanas. Não fazem evangelismo externo ao redor da igreja, e tampouco dispõem de estratégias ou programa de missões urbanas. Vivem isoladas da comunidade ao redor e enclausuradas. O índice de crescimento destas igrejas normalmente é insignificante, em muitos casos negativo.

“Missões urbanas” é prioridade número um para a igreja, segundo a ordem do Senhor ( “e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém…” ). É o grande desafio para a igreja neste final de século XX e início do século XXI.